CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

DO DISTRITO FEDERAL

Vidas alheias e riquezas salvar

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

DO DISTRITO FEDERAL

Vidas alheias e riquezas salvar

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal parabeniza a todas as mães por esta data tão especial e as homenageia com os depoimentos de algumas bombeiras mamães.

Ten-Cel. Helen - Comandante do COMAR IV

Sentir-se duplamente realizada... Pelo olhar de admiração dos pequenos ao chegar em casa...
E pela sensação do dever cumprido ao final de cada dia, em uma profissão magnífica em todas as suas nuances. (Mãe da Thaís 10, Miguel 9, Marcos 9, Flávio 7)

Major Nilsa - Piloto de helicóptero

Ser mãe e bombeira: diria que a exigência é alta, são atividades que exigem muita  dedicação e envolvimento. As vezes sinto que poderia ser uma mãe melhor se o trabalho não me exige tanto, bate cansaço, mas ao mesmo tempo sei que a minha filha enxerga tudo e aprende com meus exemplos. Fico feliz também quando vejo que ela  me admira como mãe, como bombeira. Que fala com orgulho da minha profissão. Esse é o melhor retorno, a certeza que estou cumprindo as duas tarefas, buscando sempre o meu melhor. (Mãe da Gabriela 11 anos)

E sua filha Gabriela responde...

"Mãe, quando fui pensar no que eu deveria escrever para vc no dia das mães obviamente não consegui. Você é uma pessoa maravilhosa, guerreira e uma mãe engraçada que esta lá sempre que eu presiso. Faz 11 anos que eu nasci, 11 anos de pura alegria, felicidade e tudo de bom e eu queria agradecer a Deus por ter a melhor mãe desse mundo obrigada."

 

SubTenente Fernanda - Flautista da Banda de música do CBMDF

Ainda muito jovem fui agraciada com a nobre missão de ser bombeira-música. Porém a vida necessita seguir seu curso natural e a maternidade veio para me tirar de um comodismo que poderia atrofiar minha alma. Conciliar portanto, duas vocações tão nobres não é tarefa fácil e tem lá  as suas semelhanças: é ter que lidar com o inesperado todos os dias, é se dividir em mil para atender a todas as demandas, é ver o caos de maneira organizada, é viver no limite.
O desespero não tem lugar aqui  porque comigo estão o amor de Deus, a doação incondicional do esposo, a compreensão tão afetuosa dos filhos e a camaradagem e apoio dos amigos guerreiros. Tudo me leva a ser uma pessoa melhor, a ser simples, a viver o hoje com intensidade e seguir em frente na esperança  de colher frutos que ficarão para a eternidade. (Mãe de Cecília, José Bento, Raquel, Maria, João, Ana Teresa)