Nota de falecimento – Pedro Amorim Filho, Cabo 20

É com grande pesar que o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal informa o falecimento do 2º Ten. Pedro Amorim Filho, conhecido como Cabo 20.

“Os antigos relatam que o então Cabo 20, Pedro Amorim Filho, foi o primeiro motorista carreteiro a ingressar na Corporação. Nos anos 1960, o então CBDF havia adquirido duas viaturas de grande porte; eram carretas tanques, articuladas puxadas por cavalo mecânico Mercedes Benz 1520. Por essa razão, precisa de um profissional para conduzir esses veículos e treinar outros motoristas. E o Cabo 20 possuía experiência anterior, na condução desse tipo de veículo.

Recordo-me de uma ocorrência em 1982. Na condição de Comandante de socorro do Quartel do Planalto, houve uma solicitação de emergência, onde o Grupamento de Busca e Salvamento (GBS) atuaria em nosso apoio. O Cabo 20 fazia parte da guarnição do GBS e fomos acionados para a citada ocorrência. Passamos a noite inteira fazendo o esgotamento de uma imensa garagem,  de um prédio residencial,  na Asa Norte,  inundada pela água da chuva. Havia uma senhora muito exaltada, porque o carro dela (um Monza) se encontrava totalmente submerso. Ela reclamava o tempo todo que o trabalho nosso era lento e tal. Mas a verdade é que era um grande volume de água a ser esgotado. Lembro que só tínhamos um bomba reboque para realizar aquela missão. Ela era movida por um motor Ford V8, a gasolina. Era um equipamento excelente,  de grande vazão. De madrugada o mesmo começou a falhar e parou. O então cabo 20  desmontou o carburador e ali mesmo fez a regulagem, fazendo com que a bomba voltasse a seu pleno funcionamento. Ao amanhecer,  verificamos que quase 90% da água já havia sido esgotada, pelo emprego da nossa bomba e também pela ação do sistema de tubulações de esgoto da própria garagem. Para minha surpresa,  o Cabo 20 apareceu com uma grande bandeja, com um farto café da manhã. Perguntei a ele de qual rancho era aquele café saboroso, se era do GBS ou do Quartel do Planalto. Então o Cabo 20 respondeu: “Tenente, esse café é um presente daquela senhora que no meio da madrugada, reclamava da lentidão do nosso trabalho.  Ela refletiu bem e veio nos pedir desculpas, nos agradecer e nos brindar com essa deliciosa refeição.

Me desculpem o textão, amigos, mas é a nossa história. Querido Pedro Amorim Filho, Cabo 20! Descanse em paz, Guerreiro! Que Deus o tenha em bom lugar.”

Skip to content